• Então prove respondendo as perguntas do QUIZ DO EIKE!

Últimas notícias

Eike Batista divulga nota à imprensa através de seus advogados

Nesta quinta-feira, por meio de seus advogados, Eike Batista esclareceu alguns fatos divulgados pela imprensa. A íntegra da nota pode ser lida a seguir:

 

#EikeTudoPeloBrasil

 

NOTA À IMPRENSA

Por meio de seus advogados, o empresário Eike Batista vem esclarecer os fatos hoje veiculados pela imprensa, nos termos a seguir.

De início, Eike Batista reafirma o teor das declarações prestadas em 20 de maio de 2016 em seu depoimento voluntário perante o Ministério Público Federal em Curitiba a propósito de doação eleitoral feita a pedido do ex-Ministro da Fazenda Guido Mantega.

Importante destacar, contudo, que essa doação eleitoral não teve qualquer relação nem foi dada como contrapartida de qualquer negócio envolvendo a empresa OSX no âmbito do chamado Consórcio Integra ou qualquer outro. São fatos absolutamente desconexos.

Os recursos utilizados por Eike Batista para a referida doação eleitoral são de origem lícita comprovada. Não foram decorrentes de pagamento de dividendos ou de qualquer espécie de repasse de recursos oriundos direta ou indiretamente da OSX, muito menos fruto de repasses da Integra no curso de sua atividade. Pelo contrário, com respeito à OSX, Eike Batista investiu bilhões de reais do próprio bolso. Só entre 2012 e 2013, os investimentos pessoais de Eike na OSX foram da ordem de US$ 700 milhões.

Dessa forma, Eike Batista repudia qualquer insinuação de que recursos provenientes da Integra foram repassados em doação eleitoral.

Adicionalmente, e consoante Nota à Imprensa divulgada em 13 de junho de 2015, cumpre reiterar que, a convite da Mendes Júnior, a OSX passou a integrar minoritariamente um Consórcio, operado pela própria Mendes Júnior com 51% de participação, que se transformou na chamada Integra Offshore Ltda. (“Integra”). Tal Consórcio foi formado porque a Mendes Júnior, que à época já mantinha negociações com a Petrobras, de quem recebeu convite, necessitava de um estaleiro para participar de um projeto naval, enquanto a OSX possuía um estaleiro em construção, que era capaz de abrigar o empreendimento.

O próprio acordo de formação da Integra faz distinção entre os sócios, salientando que a Mendes Júnior Trading se qualifica como sociedade convidada pois fora ela quem recebeu convite para participar do RFP 0030402.11.8 lançado pela Tupi B.V., consórcio formado por Petrobras, BG Group e Petrogal Brasil, e Guara B.V., para execução dos serviços no âmbito do contrato em questão.

Pelas regras do Consórcio Integra, cabia exclusivamente à Mendes Júnior, enquanto majoritária e dotada da expertise de engenharia necessária ao projeto, sua gestão, incluindo a contratação de prestadores de serviços, equipamentos, acompanhamento de contratos e controles dos pagamentos realizados, bem como todo o relacionamento com a Petrobras. Quaisquer pagamentos efetuados pelos sócios da Integra no âmbito do consórcio eram definidos e determinados pela Mendes Júnior.

A Integra possui sede própria, e seus funcionários são pessoas contratadas pela Mendes Júnior e por ela diretamente geridos. O acordo de sócios deixa bem claro não só a obrigação de gestão da Mendes Júnior, como em sua cláusula sexta estabelece, no que se refere à Petrobras: “caberá à Mendes Júnior indicar um preposto da SPE [Integra] oriundo dos quadros da Mendes Júnior para assumir a responsabilidade pela interação e pelo fluxo de informações entre a SPE e a cliente e/ou a PETROBRAS, ou qualquer uma de suas afiliadas, no âmbito da execução pela SPE do contrato.”

Eike Batista não tem conhecimento pessoal, nem se envolveu nem aprovou quaisquer eventuais irregularidades no âmbito da Integra.

Rio de Janeiro, 22 de setembro de 2016.

Ary Bergher, Raphael Mattos e Darwin Corrêa.

Sobre a suposta oferenda para Iemanjá

Não é verdade que Eike Batista fez uma oferenda para Iemanjá no mar de Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Segundo alguns veículos noticiaram, a suposta oferenda foi realizada em 2 de fevereiro, Dia de Iemanjá, mas neste dia o empresário estava numa viagem de negócios, fora do Brasil.

Abaixo é possível ver a passagem em nome de Eike Batista:

eiketudo

Entre perfumes e ouro, uma das supostas oferendas de Eike Batista para Iemanjá teria sido uma moeda comemorativa da Copa do Mundo de 2014. Conseguimos perguntar a ele sobre essa moeda, mas o mesmo nos garantiu: “nunca tive. Nem sei como é”, disse Eike.

Bom, fica aqui provado que tudo o que foi noticiado não é verdade.

E vale registrar que fazer o bem e ter fé são ensinamentos comuns de várias religiões, por isso todas são importantes e merecem o nosso respeito.

Mulher de Eike faz sucesso com site de aluguel de vestidos e diz que marido é seu grande conselheiro

Imagem - Globo.com
Imagem – Globo.com

Mulher de Eike Batista, a empresária Flávia Sampaio tem feito sucesso com o Powerlook, site de aluguel de vestidos que tem dado o que falar entre as madames. “É um modelo americano que conheci há alguns anos como cliente. Acredito que a maioria das mulheres sente a necessidade de variar o vestido de acordo com os eventos, sem ter que gastar muito para isso. A ideia vai de encontro com o momento atual da economia do nosso país, atrelada ao consumo consciente.

Então me animei com o formato do negócio, que chamo de ‘Netflix’ da moda”, diz ela, que atualmente conta com cerca de 300 peças para locação. Seguindo a tendência em tempos de crise, o site é democrático: tem peças entre R$ 180 e R$ 2 mil. “O mais disputado é o vestido Clementine, todo bordado, com manga 3/4. Custa R$ 850 e alugamos com, no mínimo, três diárias”, afirma Flávia, que conta com a ajuda de uma profissional para fazer a curadoria das peças e dos estilistas que fazem parte do acervo. Isso sem contar os modelos do própria marca.

Que dicas de negócios o Eike lhe deu? “Ele é meu grande conselheiro. Assim que finalizei o business plan, ele foi a primeira pessoa com quem dividi tudo. Eike me deu muita força para seguir em frente, me incentiva e pergunta todos os dias quantos vestidos foram alugados”, diz. Flávia bateu um papo com a coluna:

 

Como surgiu a ideia de criar o Powerlook?

Eu conheci esse modelo, que é americano, como cliente há alguns anos. Li o case de sucesso deles e me animei com o modelo de negócio. Acredito que a maioria das mulheres sente a necessidade de variar o vestido a cada evento, sem ter que gastar muito para isso. Defino o modelo de negócio como o ‘Netflix’ da moda.

 

Muitas mulheres têm preconceito em alugar roupa. Encontrou resistência?

A ideia vai ao encontro do atual momento da economia do nosso país, atrelada ao consumo consciente, outra questão importante e que precisamos nos atentar.

Recentemente Flávia foi flagrada com o pequeno Balder, seu filho com Eike (Foto: Ag. News)
Recentemente Flávia foi flagrada com o pequeno Balder, seu filho com Eike (Foto: Ag. News)

Quantas peças fazem parte do acervo?

São 300 peças, mas entram produtos novos todos os dias. Conto com a curadoria de uma profissional que, junto comigo, seleciona os estilistas e as marcas que entram para o nosso acervo. Destacaria as peças da nossa própria marca, que são produtos de que muitas vezes não se encontram nas lojas.

 

Quanto custa, em média, o aluguel de um vestido?

É um site democrático, onde você encontra vestidos entre R$ 180 e R$ 2 mil. O mais disputado é o vestido Clementine, todo bordado, com manga 3/4, que custa R$ 850. Alugamos com, no mínimo, três diárias. Em geral os vestidos bordados fazem sucesso, pois são lindos e com ótimo preço.

 

Qual a peça mais cara e mais barata que você já comprou?

Nunca fui uma mulher de gastar fortunas com vestidos. Alguns caros, ganhei de presente. Gosto de gastar com peças boas e que durem a vida toda. Nesse sentido, o site é a minha cara: democrático e tem um pouco de tudo.

 

O que mais ama usar e o que não entra no seu closet de jeito nenhum?

Sou bem versátil na forma de vestir. Entendo que cada ocasião pede um estilo e, como circulo em mundos muito diferentes, o meu estilo muda. Então visto tudo, de acordo com a restrição de cada lugar.

 

O que o Eike achou dessa ideia?

Ele é meu grande conselheiro. Assim que finalizei o business plan, ele foi a primeira pessoa com quem dividi tudo. Eike me deu muita força para seguir em frente, me incentiva e pergunta todos os dias quantos vestidos foram alugados. Acho que ele está de olho no meu negócio (risos).

 

Fonte: Coluna do Bruno Astuto, Revista Época.