Pai de Eike leva “susto” com o Superporto do Açu

De forma a dar sequência ao especial sobre o Superporto do Açu, nesta terça-feira, Roberto Hukai, Engenheiro nuclear e Professor do Instituto de Energia Eletrotécnica da USP, revela que Elieser Batista, pai de Eike, levou um “susto” quando soube da descoberta do Açu pelo próprio filho.

 

ESPECIAL SUPERPORTO DO AÇU:

Episódio 1: Terra, sol e água: qual é a relação com o Açu?

 

“Uma das coisas que o povo em geral pensa é que o Elieser Batista ajudou muito o filho. Claro que ajudou no sentido de que ele foi pai, só que muitas das ideias e realizações do Eike não tem nada a ver com o Elieser”, disse Roberto Hukai.

Em detalhes, Hukai conta que o Superporto do Açu nasceu a partir de um estudo inicial da US Navy durante a 2ª Guerra Mundial. Naquela época os EUA cogitavam um ataque à Europa e mapearam toda a costa brasileira em busca da construção de bases militares. Passaram-se anos e Eike Batista, na biblioteca da Marinha Americana, descobriu os dados necessários para um profundo porto no Rio de Janeiro.

“O próprio Elieser tomou um susto. Eu lembro que ele falou: ‘mas eu não sei como o meu filho descobriu o Porto do Açu’. Não estava na cabeça dele, e ele (Elieser) era um dos maiores estrategistas de superportos do mundo”, explicou.

 


 

Até sexta-feira mais vídeos com curiosidades importantes sobre o Superporto do Açu serão postados aqui no #EikeTudoPeloBrasil. Fiquem ligados!

Jovem revela: “Eike me inspirou a sonhar grande”

Slide-Luis-FernandoO jovem Luís Fernando Câmara, mesmo com 24 anos, tem um vício: empreender. No entanto, para chegar onde chegou com pouca idade – possui duas farmácias, duas escolas de oratória e uma empresa de eventos empresariais – foi necessário dar duro e buscar referências empresariais, principalmente por ter vindo de uma família de classe média baixa.

Antes mesmo de completar duas décadas de vida Luís Fernando já corria atrás de empreendedores. Certa vez, via Twitter, conseguiu contato com um dos maiores do Brasil: Eike Batista. Foram muitas trocas de DM (mensagens particulares) até que um dia, para a sua surpresa, teve a oportunidade de conhecer o famoso empresário pessoalmente.

“Foi incrível porque ele demonstrou muita humildade, além de disposição para ser ‘professor'”, disse o jovem empreendedor.

Em um bate-papo com o #EikeTudoPeloBrasil, Luís Fernando mostrou confiança na volta por cima de Eike e, inclusive, revelou que gostaria de repetir ao empresário uma frase que ouviu do próprio há quatro anos.

 

luis-fernando-camara
Luís Fernando Câmara

Confira o bate-papo na íntegra:

 

#EikeTudoPeloBrasil – Como surgiu a admiração que você tem pelo Eike?

Luís Fernando Câmara – Como nasci em uma família de classe média baixa tive que empreender muito cedo, e para isso busquei referências empresariais. Surpreendentemente o Eike foi o que mais me deu atenção, e até me convidou para almoçar no Rio de Janeiro. Foi incrível porque ele demonstrou muita humildade, além de disposição para ser um ‘professor’.

 

#EikeTudoPeloBrasil – Você acredita que a sua vida profissional é diferente por conta do contato que teve com o Eike?

Luís Fernando Câmara -O aprendizado e o contato com o Eike foram fundamentais na minha trajetória empresarial. Apesar de estar apenas começando, com 24 anos, criei três empreendimentos devido a inspiração em Eike Batista. O Eike me inspirou a sonhar grande, e desde o encontro com ele até hoje montei duas farmácias, duas escolas de oratória e uma empresa de eventos empresariais. Tudo isso está em plena operação no interior de São Paulo, mas tenho como objetivo expandiar em todo o Brasil. Não tenho dúvidas de que vou conseguir, pois com os ensinamentos do Eike aprendi a ousar mais e, principalmente, a ter perseverança para colocar todos os empreendimentos de pé.

 

#EikeTudoPeloBrasil – Recentemente o próprio Eike admitiu erros, mas prometeu: “I’ll be back”. Você acredita numa volta por cima?

Luís Fernando Câmara -Acredito muito! A competência que o Eike vem mostrando em tantos anos empreendendo é a prova disso. Ele ainda é jovem, por isso acredito que o Eike vai continuar encantando e surpreendendo. Agora, com relação aos erros, qual empreendedor que não erra? Eu não conheço. No vale do Silício todo mundo respeita o empreendedor que erra. É esse que continua tentando e assim realiza grandes obras. Está na hora dos brasileiros acordarem, temos que tirar o chapéu para quem coloca o capital em risco em busca de realizar grandes projetos. No pico das obras o Eike gerava milhares de empregos, quem foi visitar ficou boquiaberto, sendo que muitos projetos ainda estão em andamento.

 

#EikeTudoPeloBrasil – Existe alguma realização do Eike que você gostaria de destacar?

Luís Fernando Câmara – Uma realização não, várias. O Superporto do Açu é um legado para o Brasil. As termoelétricas da MPX estão funcionando. A mina de La Coipa foi um sucesso no Chile. Tem muita obra do Eike que está aí para qualquer um conhecer, sem contar as doações que o mesmo fez. Tem UPP, Lagoa Rodrigo de Freitas, hospitais… Além de ser um grande empreendedor, sempre foi generoso com o próximo.

 

#EikeTudoPeloBrasil – O que gostaria de dizer ao Eike caso o encontrasse novamente?

Luís Fernando Câmara – Gostaria de agradecer à ele pela influência e por ter me atendido quando pensei em desistir. Repetiria o que ele me disse há quatro anos: ‘Persista em sua trajetória e não desista nunca. O Brasil precisa de empreendedores iguais à você’.

Prejuízo da CCX cai 94,4% em 2014

ccx-colombiaA CCX Carvão da Colômbia, empresa do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, reportou prejuízo consolidado de R$ 30,388 milhões em 2014, queda de 94,4% ante o prejuízo de R$ 537,368 milhões registrado no ano anterior.

As despesas operacionais gerais e administrativas somaram R$ 32,709 milhões, queda de 33,9% na comparação anual.

O resultado financeiro foi positivo em R$ 1,112 milhão, diminuição de 93% frente ao anotado em 2013.

Texto: Exame.
Foto: Divulgação.

Curiosidades do Açu: capítulo 1

super-porto-do-acuEm sua última “visita” ao #EikeTudoPeloBrasil, Roberto Hukai, Engenheiro nuclear e Professor do Instituto de Energia Eletrotécnica da USP, revelou uma curiosidade sobre o lado humano de Eike Batista. Nesta segunda-feira Hukai está de volta ao site, mas, desta vez, para uma série de cinco capítulos diários que vai explicar a importância do Superporto do Açu para os brasileiros.

No primeiro vídeo, Roberto Hukai fala que o Brasil é um país privilegiado, riquíssimo em três elementos muito importantes: terra, sol e água. No entanto, o que isso tem a ver com o Superporto do Açu?

A resposta, segundo Hukai, é bem simples: “temos um potencial de produção agrícola muito grande, mas do que adianta produzir em grande escala se não há como exportar? É como fazer bolos e não tirá-los do forno. Quem irá comê-los? O Brasil deveria contar com muito mais portos, afinal de contas é um país com dimensões continentais. O Superporto do Açu é uma realização de Eike Batista, uma realização privada, e tem um potencial enorme de embarque e desembarque”, explicou.

Veja a explicação mais detalhada no vídeo abaixo:




Até sexta-feira mais vídeos com curiosidades importantes sobre o Superporto do Açu serão postados aqui no #EikeTudoPeloBrasil. Fiquem ligados!

Colunista sobre o Açu: “porto de verdade”

O colunista George Vidor, do jornal O Globo, publicou nesta segunda-feira uma nota sobre o Superporto do Açu. Leia na íntegra:

“Treze navios, carregados com cerca de 1 milhão de toneladas de minério de ferro, atracaram no Terminal 1 (T1) do Porto do Açu, do qual Eike Batista se tornou apenas um acionista minoritário (com 5% das ações). O porto é controlado (75%) pelo fundo americano EIG e agora se prepara para movimentar outras cargas no Terminal 2 (T2). Em agosto, embarcações de apoio a plataformas de petróleo da Bacia de Campos atracarão lá com mais agilidade, contribuindo para reduzir quase pela metade a frota necessária para o atendimento da Petrobras nessa área. Provavelmente ainda este ano o T2 terá desembarques de concentrado de cobre e embarques de bauxita. No segundo semestre do ano que vem, três “berços” junto ao quebra-mar do T1 estarão disponíveis para transbordo de petróleo de pequenos navios para outros grandes, que atravessam oceanos, operação fundamental por causa do aumento previsto das exportações dos atuais 500 mil para mais de 2,5 milhões de barris diários de óleo. O terminal será preparado para conter derramamentos, em caso de acidente no transbordo, como o que ocorreu recentemente na Baía da Ilha Grande.”

coluna-oglobo

Italiano gostaria de um Eike em seu país

coronaAmigo de verdade é aquele que você pode contar em todos os momentos, sejam eles de alegria ou de tristeza. Alessandro Corona tem a honra de ser um dos grandes amigos de Eike Batista e, em entrevista ao movimento #EikeTudoPeloBrasil, o Presidente da Tricosalus Clinics revelou um lado do empreendedor que poucos conhecem: a simplicidade.

“É um cara com quem você divide um sanduíche, um refrigerante… É uma pena algumas pessoas acharem que não”, disse Corona.

Nascido em Roma, na Itália, Alessandro Corona confessa que gostaria de ver um “Eike italiano” atuando em seu país. Isso não significa que por lá não existam empresários visionários também, mas, segundo o próprio Corona, não é tão fácil assim achar alguém “fora do eixo” como Eike Batista, que tem, inclusive, um patriotismo muito forte.

“Confesso que, como estrangeiro, admiro ainda mais Eike Batista. Gostaria dele no meu país. Na Itália temos grandes homens também, mas talvez nenhum com a cabeça de Eike. Ele é um homem com talento natural, com grande humanidade e generosidade, se destaca como visionário racional, porque ele cria de verdade, coisa que alguns brasileiros ainda não sabem. Hoje o Brasil tem obras realizadas e produzindo. Elas levam a assinatura do Eike Batista e geram milhares de postos de trabalho”, elogiou.

Corona deixou um recado aos brasileiros, principalmente aos que estão desacreditados quanto ao “i’ll be back” dito recentemente por Eike Batista:

“Ele vai voltar. Aliais, nunca saiu de cena, está trabalhando duro para sair de cabeça erguida dos erros que ele mesmo admitiu. Tenho certeza que ainda vai fazer muito pelo Brasil e pelos brasileiros, o grande ímpeto que alimenta a natureza do homem é o amor e respeito pelo próprio pais!”.

 

triatolo2Esporte x Negócios

Fã de triatlo, Alessandro Corona revela que o mundo dos esportes é outra paíxão de Eike Batista. Ele e o amigo, aliás, acreditam que praticas esportivas tem muito a ver com os negócios.

“Sou apaixonado por triatlo e busquei muita inspiração no homem Eike Batista, também esportista. O esporte tem muitas afinidades com a vida de empreendedor, ou seja, determinação, persistência, disciplina, paciência e superação. Afinal, ‘mens sana in corpore sano'”, finalizou Corona, citando uma famosa frase do poeta romano Giovenale.

Projeto de realocação da MPX

O projeto Vila Nova Canaã, de realocação de 95 famílias no Maranhão, mostrou que é possível criar um futuro melhor para uma comunidade que vivia em condições precárias junto a um lixão.

“O objetivo da MPX não era dar a cesta básica, e sim o emprego para eles mesmos se sustentarem. Eles tiveram cursos e hoje todos estão trabalhando. Vieram todos, a maioria desempregada, então foi um progresso.”

cleonice-da-silva

Depoimento: Dra. Rosa Célia

O empresário Eike Batista doou, em 2011, R$ 30 milhões para a conclusão do Hospital Pro Criança, projetado para ser referência em cirurgias cardíacas de alta complexidade, com 30% das vagas destinadas a crianças carentes.

O hospital que leva o nome da mãe do empresário, Jutta Batista, é um projeto da cardiologista pediátrica Rosa Célia Pimentel Barbosa.

O novo hospital tem 69 leitos (13 de UTI), 46 apartamentos e centro cirúrgico com equipamentos de última geração (todos importados).

rosa-celia

 

Chegamos em nossa primeira semana!

1-SemanaHá exatamente uma semana foi dada a largada para o #EikeTudoPeloBrasil. De lá para cá o movimento alcançou números bem interessantes, e brasileiros de todas as partes do mundo tiveram a chance de mandar seus depoimentos sobre as realizações de Eike Batista.

Um dos posts mais vistos foi o de Roberto Hukai, Engenheiro Nuclear, Professor do Instituto de Energia Eletrotécnica da USP e amigo pessoal de Eike há mais de 30 anos. No vídeo, que pode ser visto AQUI, Hukai falou sobre o lado humano do empresário Eike Batista, revelando inclusive um episódio em que o mesmo doou US$ 100.000,00 para uma instituição de caridade chilena.

Então, já que as curiosidades contadas por Roberto Hukai fizeram sucesso aqui no site, vamos comemorar os primeiros sete dias do #EikeTudoPeloBrasil com mais um vídeo do Engenheiro Nuclear, e novamente contando um episódio curioso sobre o lado social de Eike Batista.