Relembre alguns incentivos de Eike Batista ao esporte brasileiro

felipe-nasrNesta segunda-feira vamos viajar no túnel do tempo para um passado não muito distante e falar de incentivo ao esporte. A dica deste post é da leitora Thereza Fontoura. Ela nos lembrou que Eike Batista ajudou muito o esporte brasileiro. Por exemplo: além do RJX, time de vôlei campeão da Superliga na temporada 2012/13, Eike também patrocinou atletas como Bruno Sena e Felipe Nars no automobilismo, Maria Clara, Carolina e Pedro Solberg no vôlei de praia, Jose Aldo, Minotauro e Minotouro no MMA, entre vários outros.

No ano que vem o Rio de Janeiro será sede dos Jogos Olímpicos, maior evento esportivo do mundo. A candidatura vitoriosa da cidade do Rio de Janeiro à sede dos Jogos Olímpicos de 2016 teve com um de seus principais patrocinadores o empresário Eike Batista.

Felipe Nars, um dos atletas que foram patrocinados por Eike Batista, em 2011 foi campeão da Fórmula 3 inglesa e, no ano seguinte, saiu em destaque no portal UOL com a seguinte manchete: “Aposta de Eike, brasileiro Felipe Nasr empolga europeus e adota caminho sem atalhos até a F-1″. Não deu outra: Felipe hoje corre pela Fórmula 1.

“É um trabalho feito há algum tempo, não foi da noite para o dia. Esperamos o momento certo de ter empresas brasileiras com o Felipe. Com o Banco do Brasil e a OGX a gente atinge esse espírito. Nada mais brasileiro que o grupo EBX, do Eike Batista, um desses orgulhos desse Brasil que dá certo”, disse na época Amir Nasr, tio de Felipe e um dos responsáveis pela condução da carreira do piloto.

Em outro trecho, Amir mostra que Eike Batista não é “tudo pelo Brasil” só de hoje: “Eike deixou bem claro a preocupação dele de ter um brasileiro fazendo sucesso lá fora. Isso mostra bem o espirito do Eike, ajudando brasileiros a ter mais chances no exterior”.

Clique AQUI e leia a matéria completa de 2012!

Ativista explica empreendedorismo social e sua relação com Eike Batista

Encontro com Eike Batista em 2010.
Encontro com Eike Batista em 2010.

Rosieli Leal é voluntária em projetos sociais e contra o acúmulo de riquezas, mas, apesar disto, em 2010 passou a procurar Eike Batista, um dos maiores e bem-sucedidos empresários do mundo. Por quê? Rosieli explica que seu lance nunca foi fazer negócio, e sim conhecer pessoas e emoções que, aparentemente, eram bem diferentes das suas.

Após alguns contatos com Eike Batista via Twitter, rede social que o empresário usava com frequência, Rosieli conseguiu integrar o grupo dos “Amigos X”, este formado por dez pessoas, uma de cada canto do Brasil, e teve a chance de ficar cara a cara com o próprio Eike.

“Queria ver o que um dos homens mais ricos do mundo pensava e sentia. O meu lance nunca foi os negócios, mas as pessoas e suas emoções”, disse Rosieli. Ela ainda conta que se surpreendeu positivamente com Eike Batista: “Eu tinha que ver de perto se um homem de um mundo tão agressivo tinha alma, e Eike tem”.

Mesmo expert no mundo dos negócios, Eike Batista foi fundamental para um outro tipo de empreendedorismo, o social, este praticado por Rosieli em comunidades carentes do Rio de Janeiro. Ela explica melhor o que significa empreender socialmente.

“Penso que o empreendedorismo social faz as pessoas irem além de abrir um negócio para terem lucro. No meu caso, significa empreender os meus talentos e habilidades profissionais através do voluntariado, para idealizar e realizar ações em parceria com grupos e organizações não governamentais”. Ela ainda revela onde tem realizado seus trabalhos: “Desde 2010 estou em um ‘relacionamento sério’ com o Complexo do Alemão (conjunto de favelas na Zona Norte do Rio de Janeiro)”, brincou Rosieli.

Empreender sem visar lucro? Soa um tanto quanto estranho, mas Rosieli garante que existe pagamento para o seu trabalho: “É um trabalho voluntário de poucas formiguinhas, que leva afeto e esperança para as crianças no meio do caos provocado pela violência. Gosto de dizer que o voluntariado na favela é o empreendimento que dá sentido a minha vida, e o pagamento são milhares de sorridos”.

Rosieli espera que mais e mais pessoas façam uso de seus dons para empreendimentos de cunho social, principalmente porque vivemos num país que, apesar das riquezas, ainda é muito desigual.

“Quando Eike Batista era um dos homens mais ricos do mundo e milhares de pessoas disputavam sua atenção, eu me aproximei para saber o que ele tinha de valor no coração e não em sua conta bancária”, garante Rosieli, que quando esteve com Eike fez questão de presenteá-lo com um cofre, este repleto de palavras como “amor”, “família” e “amigos”. “Tive a oportunidade de lhe falar que isso é o que deveria ser guardado num cofre, pois é o nosso tesouro mais valioso”, explicou.

Projeto de realocação da MPX

O projeto Vila Nova Canaã, de realocação de 95 famílias no Maranhão, mostrou que é possível criar um futuro melhor para uma comunidade que vivia em condições precárias junto a um lixão.

“O objetivo da MPX não era dar a cesta básica, e sim o emprego para eles mesmos se sustentarem. Eles tiveram cursos e hoje todos estão trabalhando. Vieram todos, a maioria desempregada, então foi um progresso.”

cleonice-da-silva

Depoimento: Dra. Rosa Célia

O empresário Eike Batista doou, em 2011, R$ 30 milhões para a conclusão do Hospital Pro Criança, projetado para ser referência em cirurgias cardíacas de alta complexidade, com 30% das vagas destinadas a crianças carentes.

O hospital que leva o nome da mãe do empresário, Jutta Batista, é um projeto da cardiologista pediátrica Rosa Célia Pimentel Barbosa.

O novo hospital tem 69 leitos (13 de UTI), 46 apartamentos e centro cirúrgico com equipamentos de última geração (todos importados).

rosa-celia

 

Chegamos em nossa primeira semana!

1-SemanaHá exatamente uma semana foi dada a largada para o #EikeTudoPeloBrasil. De lá para cá o movimento alcançou números bem interessantes, e brasileiros de todas as partes do mundo tiveram a chance de mandar seus depoimentos sobre as realizações de Eike Batista.

Um dos posts mais vistos foi o de Roberto Hukai, Engenheiro Nuclear, Professor do Instituto de Energia Eletrotécnica da USP e amigo pessoal de Eike há mais de 30 anos. No vídeo, que pode ser visto AQUI, Hukai falou sobre o lado humano do empresário Eike Batista, revelando inclusive um episódio em que o mesmo doou US$ 100.000,00 para uma instituição de caridade chilena.

Então, já que as curiosidades contadas por Roberto Hukai fizeram sucesso aqui no site, vamos comemorar os primeiros sete dias do #EikeTudoPeloBrasil com mais um vídeo do Engenheiro Nuclear, e novamente contando um episódio curioso sobre o lado social de Eike Batista.

Amigo de longa data revela lado humano de Eike

profhukai
Roberto Hukai, engenheiro nuclear e professor do Instituto de Energia Eletrotécnica da USP

 

Muitas pessoas pensam de forma errada a respeito de outras que, só por serem popularmente conhecidas, aparentam gozar de uma vida recheada de privilégios sem qualquer tipo de importância com o próximo. Tudo bem, pode ser que existam casos de celebridades fúteis ou que se deixam levar pela fama, mas generalizar é um julgamento completamente injusto.

Eike Batista, por exemplo, é um empresário conhecido por conta de várias realizações favoráveis ao Brasil, mas que, apesar de ser bem-sucedido na carreira, não poupa esforços para melhorar a vida de quem precisa. Quem garante é Roberto Hukai, engenheiro nuclear e professor do Instituto de Energia Eletrotécnica da USP.

Hukai, amigo pessoal de Eike Batista há mais de 30 anos, contou ao #EikeTudoPeloBrasil um episódio curioso presenciado por ele no Chile.

Antes da aquisição da mina de ouro La Coipa, localizada no Deserto do Atacama, Eike precisou viajar bastante para a Santiago. Numa das visitas à capital chilena viu que em uma igreja localizada ao lado do hotel o padre cortava um dobrado para ajudar crianças carentes, todas em situação que beirava a miséria. Angustiado em ver aquilo o empresário foi oferecer ajuda, e em pouco tempo US$ 100.000,00 haviam sido doados à instituição.

No vídeo abaixo, Roberto Hukai conta a história com mais detalhes, cita a mãe de Eike, Dona Jutta, como incentivadora deste lado social do filho, e revela que o padre da igrejinha de Santiago acabou como o primeiro santo da igreja catolica chilena, beatificado há cerca de um ano. Confira:

NOTA: Roberto Hukai contou inúmeras curiosidades de forma exclusiva ao site. Todas serão publicadas em breve!

Projeto de realocação muda a vida de 95 famílias

EDNALVA-CANAA

Uma comunidade que teve a chance de recomeçar a vida em um novo ambiente nos mostra que é possível mudar o destino e criar um futuro melhor. Assim nasceu a Vila Nova Canaã, projeto de realocação que se tranformou em recomeço para 95 famílias.

O grupo EBX, por meio da MPX, deu à comunidade local moradia e condições de ganharem o sustento com dignidade e no próprio local.

Os que aderiram ao programam de realocação hoje vivem em casas com escritura pública, equipadas com geladeira, fogão, liquidificador, televisão, computador e impressora, isso a apenas 30 km de São Luís, capital do Maranhão.

“A Vila não tinha energia e não tinha água. A água era carregada desde o poço, uma distância grande. A maioria das pessoas não tinha fogão e nem geladeira, cozinhava no carvão e na lenha. A mudança pra cá foi uma transformação muito grande”, disse a feirante Ednalva da Silva.

Apoio na área da saúde

hospital-procrianca

 

Apoiou à construção do Centro Pediátrico do Câncer (CPC) – Ceará, e do Hospital Pro Criança Cardíaca – Rio de Janeiro.
Outras doações:

  • Associação Saúde Criança Renascer
  • ABBR – Cadeiras de rodas
  • Academia Nacional de Medicina
  • Hospital Policia Militar de Niterói
  • Santa Casa de Misericórdia
  • Casa da Criança Lar São José
  • Casa dos Artistas

Investimento total aproximado em projetos na área de saúde: R$ 40 milhões

Contribuição na área social

canaa-destaque

 

Na área social, apoiou os programas de realocação de famílias Vila Nova Canaã, no Maranhão, e Vila da Terra, em São João da Barra (RJ);
Drenagem e reforma da usina do lixo em São João da Barra:

Drenagem de canais da cidade além de reforma e ampliação da usina de lixo. A usina será (checar!) reformada, ampliada e adaptada para coleta seletiva e processamento.
Entreposto pesqueiro em Atafona, São João da Barra:

Oferecer suporte às atividades pesqueiras da região do Super Porto do Açu. Dividido em três fases, o Entreposto Pesqueiro terá área de aproximadamente 2 mil metros quadrados.
Investimento total aproximado em projetos sociais: R$ 8 milhões

Contribuição com a implantação das UPPs

upp-saocarlos

Entre 2011 e 2013 um acordo firmado pelo Grupo EBX com o governo do Estado do RJ contribuiu com a implantação das UPPs (Unidade de Polícia Pacificadora), doando R$20 milhões por ano.

A UPP é um dos mais importantes programas de Segurança Pública realizado no Brasil nas últimas décadas. Implantado pela Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro, no fim de 2008, o Programa (planejado e coordenado pela Subsecretaria de Planejamento e Integração Operacional) foi elaborado com os princípios da polícia de proximidade, um conceito que vai além da polícia comunitária e tem sua estratégia fundamentada na parceria entre a população e as instituições da área de Segurança Pública.