Funcionário: “maior virtude do Eike não está ligada aos negócios”

paulo-melo1
Arquivo pessoal

É possível manter uma relação de amizade com o patrão? Paulo Melo, funcionário de Eike Batista, não tem dúvidas ao afirmar que sim. Há 32 anos ao lado do empresário, Paulo conta que começou como seu motorista, só que, com o passar do tempo, outras qualidades apareceram e o seu trabalho foi sendo reconhecido. Atualmente ele é um braço direito de Eike, um pau pra toda obra.

Apesar dos anos de convivência e da relação de amizade com o chefe, é visível o respeito e a dedicação do funcionário com o trabalho. O próprio #EikeTudoPeloBrasil é prova disso, já que o contato com Paulo durante o horário de expediente não deu muito certo. Muito atarefado, ele pediu desculpas por não poder dar um depoimento sobre Eike naquele momento, mas sugeriu que a ligação fosse feita mais tarde.

Com as tarefas terminadas, Paulo Melo mostrou-se muito atencioso, uma virtude que certamente o fez ganhar pontos com Eike Batista. Perguntamos então o contrário, ou seja, qual a virtude do chefe mais lhe chama a atenção. Paulo disse, sem titubear:

“O Eike é humano. Até me arrisco a dizer que a maior virtude dele não está ligada aos negócios, mas ao fato dele ser muito humano. O sucesso nos negócios é consequência de várias virtudes, só que pra mim a maior é essa. Quando você agrada ao próximo não tem erro: Deus dá duas vezes mais”, disse o funcionário, acrescentando que o próprio Eike também vive dizendo que Deus sempre dá em dobro.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

O casamento de mais de 30 anos, que se fosse conjugal seria chamado de Bodas de Pérola, faz com que Paulo possa falar de Eike com propriedade. Perguntado se conseguiu descobrir algum segredo de sucesso do patrão, o funcionário revelou não acreditar em segredos.

“Podem ter virtudes, mas segredos acredito que não. O Eike não começou ontem, só eu estou há 32 anos com ele. As pessoas podem até ter tomado conhecimento sobre o Eike há menos de dez anos, não sei, mas ele não apareceu de uma hora para a outra, isso não existe e eu posso garantir. O Eike navegou contra a corrente. Enquanto muita gente segurou dinheiro, colocou na poupança, ele não. O dinheiro do Eike sempre está girando em alguma coisa, sempre em projetos. Quando os que estão parados decidem se mexer o Eike já se mexeu há muito tempo, aí larga na frente”, disse.

Muitas pessoas querem trabalhar para o Eike Batista e, mais do que isso, outras tantas querem ter uma relação de amizade com o empresário. Paulo Melo conseguiu as duas coisas. Será que há um segredo para conquistar o empresário?

“Ele já disse pra mim que se alguém quer provar que é amigo dele, tem que comer com ele”, revelou.

E para seguir a sequência de revelações, Paulo contou que uma outra virtude de Eike Batista é a generosidade: “É um cara que se você está com ele você está com ele. Pode ter certeza que ele vai fazer tudo por você”, disse. Pedimos um exemplo bem simples desse lado generoso do empresário, e o funcionário respondeu: “Acompanhei o Eike em muitas situações, até em loja para comprar roupa. O Eike ao mesmo tempo que olha as coisas pra ele também fala para provarmos também. É de uma humildade, de uma generosidade… Essas coisas são tão grandes que tem vezes que a relação de patrão e funcionário parece não existir, fica no mesmo patamar, entende?”, explicou.

Recentemente, numa entrevista, Eike Batista admitiu alguns erros. Como ninguém é de ferro, pedimos para Paulo Melo nos contar alguma curiosidade sobre a vida de Eike, alguma passagem em que o empresário não tenha acertado em cheio como costuma acertar. Paulo puxou na memória e nos contou sobre uma “corrida maluca”.

“Começamos a correr de lancha e aí montamos uma com o maior carinho do mundo, seguindo exatamente as coisas conforme havíamos planejado. Até os capacetes o Eike me pediu para pintar de laranja, a cor que ele queria. Isso pra mim nem fazia tanta diferença, mas mesmo assim eu pintei, né? Chegou o dia da corrida, todo mundo confiante, e aí na largada veio o desastre. Tinha uma outra lancha que arrancou na frente, daí a onda que ela formou bateu na nossa embarcação e nós simplesmente quebramos. Não deu nem para brincar muito, mas serviu para que no ano seguinte ele ficasse com sangue nos olhos. Arrumamos uma lancha nova, até parecida com a que nos deixou pra trás na largada, e trabalhamos mais duro ainda. Não tem ninguém no mundo capaz de fazer o Eike desistir”.

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal